Em um cenário em que o país passa pela pior recessão de sua história, com queda da renda per capita e do poder de compra do brasileiro, torna-se ainda mais fundamental uma gestão financeira eficiente para garantir o sucesso dos varejistas.

Nesse sentido, uma das ferramentas fundamentais é a gestão de caixa. Ela está relacionada com o registro e o gerenciamento de entrada e saída de recursos de sua loja e permite que o varejista responda a questões-chave como quanto saiu e entrou em seu caixa em determinado período e quais são as previsões para o próximo ano, por exemplo. Quer saber como fazer isso? Continue acompanhando o artigo de hoje!

O que é o fluxo de caixa?

Antes de tudo, é necessário entender como caixa, as contas correntes ou similares que nos permitem uma rápida liquidez, ou seja, se você precisar do dinheiro, ele estará lá e poderá ser usado.

A palavra fluxo expressa o movimento. Portanto, a gestão de caixa permitirá ter uma clara ideia de quanto dinheiro passa ou passará através dos caixas de seu varejo, constituindo uma ferramenta de gestão financeira que apresenta as entradas e saídas de recursos monetários de seu negócio.

A gestão do caixa passa, portanto, pelo fluxo de caixa. Ele representa todas as entradas de valores em sua loja (por exemplo, por meio da venda dos produtos), como também todas as saídas (ao pagar funcionários, ao renovar estoque, etc.).

Por que fazer uma gestão de caixa?

Ao ter controle do fluxo de caixa, é possível gerar acompanhamentos e benefícios adicionais para seu negócio. Entre eles, destacam-se:

1 – Conhecer o impacto dos lançamentos futuros

Lembre-se de que, normalmente, o prazo de pagamento das compras realizadas pela empresa é menor do que o período de recebimento das vendas. Tendo isso em mente, você terá clareza de que, se vender muito, você também gerará mais contas a pagar, pois precisará repor rapidamente o estoque e, consequentemente, terá mais dinheiro a receber.

Se não tiver uma reserva para fazer esse caixa fluir, é provável que você precise recorrer à ajuda externa, como empréstimos, mas se tiver capital de giro, você conseguirá programar as compras de seu varejo de modo a não se descapitalizar nem deixar faltar produtos nas prateleiras.

2 – Evitar saldos negativos

Com uma boa gestão de caixa é possível evitar terminar o mês ou até o ano no vermelho. As contas negativas podem ser sinal de falta de capital de giro. Podem, ainda, sinalizar problemas na gestão de seu negócio.

Por isso, é essencial que essa gestão de caixa seja feita diariamente, assim você terá uma ideia mais ampla de como serão os próximos dias e tempo suficiente para solicitar mais prazo, caso necessite negociar com fornecedores, por exemplo.

3 – Entender a origem e o destino do dinheiro

Não gastar mais do que a capacidade de pagamento da sua empresa é um cuidado importante e facilmente identificado quando se faz uma gestão de caixa.

Nesses casos, ao fazer uma análise anual, é possível avaliar se há esse gargalo no orçamento e apontar o diagnóstico para que correções sejam feitas para a próxima gestão.

Ao observar as contas ao longo de um ano, percebe-se onde há excessos. A conta de luz é um exemplo. Se você analisá-la durante 12 meses, no ano seguinte já estará preparado para o período em que, possivelmente, precisará alocar mais verba para cobrir esse incremento em seus custos ou mesmo criar ações preventivas para não deixá-lo subir novamente.

4 – Fazer a projeção de seu fluxo de caixa

Para isso, faça uma relação de tudo o que entra e o que sai de sua loja. Some seu caixa, as contas a receber, seu estoque e ativos fixos (como os equipamentos e mobiliários). Depois, relacione as contas a pagar, com os impostos, financiamentos, empréstimos e os demais custos que você precisa liquidar.

Com esse levantamento pronto, torna-se possível realizar a projeção do fluxo de caixa, analisando os valores referentes aos períodos estipulados (por exemplo, analisar o ano anterior para identificar as sazonalidades de seu faturamento).

Como fazer esse controle

Você pode optar por uma tabela ou até mesmo por sistemas que realizem esse tipo de análise com base em todos os dados econômicos da empresa.

O uso de gráficos é o mais recomendado para quem quer fazer uma análise mais visual das finanças, verificando a curva de desempenho de sua loja, comparando receitas e despesas no período e identificando tendências.

De acordo com o levantamento divulgado pela revista Exame, o descontrole financeiro é um dos principais fatores que levam ao fechamento de pequenas empresas. Para evitar fazer parte dessa estatística, é fundamental fazer a gestão financeira de sua loja.

Uma boa gestão de caixa é a principal aliada de uma gestão financeira de sucesso. O fluxo de caixa permite que o varejista acompanhe todas as movimentações financeiras de seu estabelecimento e conheça a saúde financeira de seu negócio.

Que tal adotar essa prática em seu varejo?