O planejamento de vendas pode ser um diferencial e tanto para garantir um controle mais eficiente do seu fluxo de caixa – um dos aspectos que mais tendem a gerar obstáculos na gestão do varejo.

Um bom planejamento de vendas ajuda o varejista a direcionar com mais assertividade suas ações estratégicas. Além disso, garante maior controle sobre o volume de vendas, o perfil do consumidor, os produtos que têm vendido mais, entre outras informações importantes.

Para conciliar ambos os fatores na mesma equação, vamos apresentar neste post a importância do planejamento de vendas em seu fluxo de caixa, e como lidar de maneira eficiente com ele. Confira!

O que é e como elaborar um fluxo de caixa

O fluxo de caixa é uma ferramenta de gestão financeira na qual são registradas todas as entradas e saídas. Isso tudo se caracteriza desde o recebimento de pagamentos à quitação de salários, impostos e custos fixos e variáveis de sua loja.

Para ter um fluxo de caixa eficiente, entretanto, é importante manter todos esses valores devidamente apontados, em uma planilha ou com o auxílio de softwares de gestão, facilitando a inserção, edição e análise dos dados.

Dessa maneira, ao nutrir esse método de organização e eficiência de gestão financeira, o seu varejo fica mais sob controle. Isso permite avaliar a situação atual e criar projeções em curto e longo prazos para desenvolver seu negócio.

Sem falar que ter um fluxo de caixa atualizado também concentra outras vantagens, como:

  • A categorização de despesas por tipo, permitindo uma avaliação mais precisa dos gastos;
  • Avaliar de onde vêm os principais ganhos da empresa – seja por cliente ou produto;
  • Identificar picos de sazonalidade e onde aplicar promoções e outras campanhas.

Dessa maneira, já dá para ter uma ideia da relevância de um bom fluxo de caixa no seu planejamento de vendas, não é mesmo?

Planilha Fluxo de Caixa

O que é e como elaborar um planejamento de vendas

O planejamento de vendas é um importante instrumento para diagnosticar a saúde financeira de qualquer negócio. Através dele, o varejista obtém um panorama geral dos seus objetivos e os meios para atingi-los. O orçamento de vendas é sempre o primeiro a ser feito; a partir dele é que são feitos todos os demais.

Para isso, é importante saber, antecipadamente:

  • Os números e indicativos que compreendem suas lojas, como o volume de vendas;
  • Os meses de sazonalidade;
  • O perfil dos clientes;
  • A situação geral do mercado.

Com tais informações, é possível criar um planejamento de vendas mais realista e assertivo. O mais importante é o foco nos seus principais objetivos e, principalmente, nos caminhos mais seguros para conquistá-los.

O planejamento de vendas necessita, também, de um plano de ação detalhado. Além disso, é necessário um período para sua manutenção. Isso possibilita corrigir o que pode ser melhorado durante a implementação.

Como combinar o fluxo de caixa e o planejamento de vendas

Por meio de ambos os instrumentos de gestão, é possível projetar déficits ou excessos de caixa nos períodos em que foram realizados os planos de vendas. E isso por meio de comparativos com base no projetado e no que foi cumprido.

Assim, quando ambos os materiais estão em alinhamento, há como manter o fluxo de caixa estável. Mesmo quando o período de vendas é relativamente baixo, uma vez que as projeções e o planejamento permitem uma racionalização em curto, médio e longo prazos.

Ou seja: o fluxo de caixa e o planejamento de vendas, quando bem feitos, são perfeitos para conferir mais segurança, controle e precisão ao seu varejo.

Gostou do artigo? Quer saber como podemos contribuir ainda mais para o sucesso do seu negócio? Solicite um diagnóstico gratuito para a sua empresa:

Diagnóstico empresarial