Atrair e fidelizar clientes e aumentar as vendas são objetivos em comum para empreendedores varejistas – independentemente dos seus ramos de atuação. Acontece que existe outro elemento-chave que não deveria sair de pauta: a eficiente gestão financeira.

E, por incrível que pareça, gestores inexperientes e veteranos costumam cometer deslizes aqui e ali nesse aspecto fundamental que marca presença em todas as etapas do seu negócio.

Por isso, vamos falar neste post a respeito de 7 erros que a  sua empresa deve evitar no que diz respeito à gestão de custos e despesas. Confira!

1. Não fazer o cálculo do custo de seus produtos

Independentemente do que você ofereça, existe um custo por trás do produto que você comercializa. E muitos empreendedores esbarram no erro de praticar valores equivalentes ao custo gerado em sua etapa produtiva.

Assim, os esforços para gerar lucro ou mesmo expandir a sua marca serão maiores. Por isso, analisar os custos produtivos e de manutenção é um passo fundamental para que a gestão de custos seja balanceada a partir de um valor coerente de comercialização dos seus produtos.

2. Não ter plena ciência de seus custos fixos e variáveis

Ao criar um planejamento anual, é válido anotar todas as despesas e custos fixos, que permitem um controle muito mais sadio de suas finanças ao longo dos meses.

Além disso, os custos e despesas variáveis também devem ter, ao menos, um esboço no papel para que os imprevistos tenham o menor impacto possível, quando surgirem.

E isso é algo que muitos empreendedores têm que se aprofundar quando falamos em gestão financeira. Afinal, as despesas e custos fixos devem nortear, em essência, a quantidade de recursos mensais de qualquer negócio.

Sem falar em uma reserva para os imprevistos já mencionados, o que também retarda as possibilidades de crescimento de sua empresa. Daí, a importância em praticar um controle rígido!

3. Não separar as finanças corporativas das pessoais

Um dos equívocos mais comuns nas pequenas empresas é a mistura das finanças pessoais com as corporativas. Com isso, o empreendedor tem pouquíssimo – ou nenhum – controle de suas entradas e saídas e do montante real que a sua empresa está produzindo e gastando.

Esse tipo de atitude é um convite ao caos de sua gestão financeira. Por isso, por mais tentador que seja, os saques e depósitos para cobrirem despesas pessoais – e vice-versa – devem ser evitados, e um planejamento para cada gasto deve ser estabelecido.

4. Contar com as previsões de receita

Sim, as previsões ajudam a avaliar o desempenho de sua empresa em muitas maneiras e, inclusive, a planejar os próximos passos visando o desenvolvimento de sua marca.

Acontece que isso se torna um problema quando o empreendedor conta demais com esses recursos, a ponto de antecipar investimentos. Isso porque uma compra pode ser cancelada, por exemplo, ou passível de outro motivo que adie a entrada do montante esperado.

Dessa maneira, a gestão financeira fica mais difícil de ser gerenciada de maneira efetiva, valendo a importância de diferenciar a receita real da prevista.

5. Não manter o estoque sob controle

Engana-se quem não vê o próprio estoque como um investimento, já que ele representa grande parte do valor aplicado no seu negócio.

Ao contabilizá-lo em suas análises e balanços, você descobre quanto tem guardado, o que também ajuda a manter um número de produtos necessário para cumprir prazos de entrega, por exemplo, e para que você não exceda o estoque a ponto de depreciar os itens encalhados.

6. Não manter os registros organizados

Delegue melhor as tarefas aos seus colaboradores, para que todos saibam suas responsabilidades e como lidar efetivamente com a gestão de custos e despesas do seu negócio.

Do contrário, cada um vai agir por conta própria, bagunçando os registros e montantes, como as despesas, o fluxo de caixa e os valores a pagar e a receber. Assim, a mão de obra qualificada nesse sentido ajuda, e muito, com uma gestão responsável.

7. Não se inteirar a respeito da saúde financeira da empresa

Lucro, prejuízo ou estagnação… Se um empreendedor não sabe a quantas anda a saúde financeira do seu negócio, ele está delegando a gestão do seu negócio ao acaso.

Isso tudo implica em gastos além do necessário, lucros menores do que o esperado e em análises incertas. O que significa: a gestão financeira deve ser trabalhada continuamente para o desenvolvimento do seu negócio.

E, para obter um auxílio cirúrgico nesse sentido, solucionando os principais erros de gestão financeira da sua empresa, convidamos você a entrar em contato com a ADM S.A. para descobrir diferentes alternativas personalizadas para o seu negócio!