Se tem uma coisa da qual nenhum empreendedor quer ser chamado é de inadimplente. Começa com uma pequena dívida em um mês, acumula com uma outra no mês seguinte, são somados os juros e as multas. Quando você se dá por conta, um negócio que tinha tudo para dar certo se tornou inviável financeiramente.

Infelizmente, nenhuma empresa está livre da inadimplência. Pode acontecer quando você menos espera – afinal de contas, o mercado é repleto de fatores que variam a todo momento.

Por outro lado, você não pode ficar sentado esperando que algum imprevisto aconteça e coloque a sua empresa na lista das endividadas. É possível tomar alguns cuidados para evitar a inadimplência na sua loja. Vamos ver algumas dicas para mantê-la bem longe!

Cuidados para sua empresa não ficar inadimplente:

Planilha Calcule seus custos com funcionários

1. Conheça as suas finanças

Imagine um negócio que não adota controle financeiro algum. O empreendedor não possui conhecimento da situação do caixa, da entrada de receitas ou das despesas futuras. Nesse caso, é muito fácil que ele efetue uma compra e note apenas na hora do pagamento que não tem dinheiro em caixa.

Por outro lado, quando você conhece as finanças do seu negócio, qualquer decisão pode ser tomada com mais segurança. É possível ver o valor atual em caixa, os valores que entrarão nos próximos meses e as despesas programadas. Tudo o que você precisa para não sair criando dívidas por aí.

2. Planeje as despesas

As despesas com aluguel, telefone, internet, energia elétrica e água são alguns exemplos de gastos fixos – aqueles que você paga todos os meses. Eles possuem uma previsibilidade que possibilita um planejamento das despesas, de forma que você não comprometa o seu caixa a ponto de não conseguir quitá-las.

Além delas, sempre surgirão outras despesas que serão pagas em várias parcelas e podem entrar nesse planejamento. Com essas informações em mãos, você saberá qual é a parcela da receita que deve ser separada para esses pagamentos e também o valor que sobrará nos caixas da empresa para novas aquisições.

3. Otimize as compras de estoque

Existe uma relação fundamental que muitos empreendedores desconhecem: quanto maior for o volume do seu estoque, menor será o valor de dinheiro em caixa. Isso é muito importante, pois você dificilmente conseguirá pagar a conta do aluguel dando em troca algumas unidades do seu produto.

Sendo assim, é preciso estar atento para otimizar as compras de estoque. Busque um equilíbrio entre um estoque maior do que o necessário – que consome o seu capital de giro – e a escassez de mercadorias – que pode resultar na perda de algumas vendas.

4. Não conte com o incerto

Surge um cliente interessado em comprar uma grande quantidade de produtos da sua loja. Ele que comprar mais do que você possui em estoque. Você fica muito feliz com a possibilidade, faz um pedido de compra e já aproveita para colocar em prática o projeto da reforma da loja. Aquele que estava parado por falta de dinheiro.

Entretanto, no último momento, o cliente desiste da compra. Agora você possui uma grande quantidade de produtos parados em estoque, uma dívida com o fornecedor e ainda precisa pagar pela reforma. O que parecia um ótimo negócio acabou deixando a sua loja inadimplente.

5. Faça uma reserva financeira

Manter uma reserva financeira é muito vantajoso por diversos motivos. Um deles é evitar que a inadimplência chegue na sua loja. Procure ter uma reserva apenas para cobrir situações imprevistas. Assim será possível retirar dela o dinheiro para quitar as despesas em vez de ficar inadimplente ou apelar para empréstimos.

6. Controle a inadimplência dos seus clientes

Não é somente a sua empresa que pode ficar inadimplente. Os seus clientes também não estão livres de enfrentar dificuldades para pagar pelas compras efetuadas na sua empresa.

A grande questão é: a inadimplência dos seus clientes pode gerar a inadimplência da sua loja também. Se você faz muitas vendas parceladas e existem muitos clientes inadimplentes, seu caixa ficará comprometido e será difícil quitar todas as despesas.

 

Gostou das dicas desse artigo? Quer saber como podemos contribuir ainda mais para o sucesso do seu negócio? Solicite um diagnóstico gratuito para a sua empresa:

Diagnóstico empresarial