Os riscos trabalhistas são uma grande preocupação das empresas que contratam funcionários. Esse fato se justifica pelo alto número de ações trabalhistas no Brasil: em 2016, foram cerca de 3 milhões novos processos abertos.

Entretanto, esse é um assunto bastante complexo para muitos empreendedores. São tantas exigências espalhadas pela legislação que, muitas vezes, a empresa comete deslizes. Não por agir de má-fé, e sim por falta de conhecimento.

É preciso tomar cuidado com o registro correto dos empregados, recolhimento dos encargos sociais, segurança do trabalho, direitos trabalhistas, entre diversos outros detalhes.

Neste artigo você conhecerá a importância de prever riscos trabalhistas, como evitá-los e por que eles podem afetar até mesmo o planejamento financeiro e estratégico da sua loja!

Impactos dos riscos trabalhistas

Deixar de cumprir todas as obrigações trabalhistas pode ter consequências que vão além do que você imagina. Além do pagamento de multas (que podem ser bem pesadas), você perderá tempo lidando com o problema. Além de colocar a imagem da sua empresa em jogo.

Em um mercado tão competitivo, em que equilibrar as finanças já é um desafio, comprometer parte do seu caixa para o pagamento de penalidades pode acabar com todo o planejamento financeiro. Imagine só ter que cancelar o projeto da reforma da fachada da sua loja porque parte dos recursos foram gastos em multas ou indenizações trabalhistas.

É por isso que a prevenção dos riscos trabalhistas deve fazer parte do planejamento estratégico do seu negócio. Caso contrário, eles podem ser os responsáveis por acabar com o seu planejamento.

Planilha Calcule seus custos com funcionários

Baixe nossa planilha gratuitamente.

5 dicas para reduzir os riscos trabalhistas

Muitas empresas acabam enfrentando problemas trabalhistas por descuido ou falta de conhecimento. Para ajudar você a manter-se afastado dos riscos trabalhistas, separamos 5 dicas que podem ser muito úteis. Confira:

1. Busque ter conhecimento da legislação

Como não poderia deixar de ser, a legislação concede uma série de direitos e benefícios aos empregados para que eles possuam boas condições de trabalho e uma remuneração justa pela atividade exercida. O seu dever, na posição de empregador, é conhecer essas exigências e respeitá-las.

Entre elas estão a segurança no trabalho – que pode ter exigências que variam de acordo com a atividade exercida -, o adicional pelo trabalho noturno, por trabalhos insalubres ou perigosos, o décimo terceiro salário, o descanso semanal remunerado, as férias, entre várias outras exigências.

2. Nunca tenha funcionários informais

Imagine um pequeno armazém administrado há muitos anos apenas por João, o dono do negócio. Como ele atende somente clientes do seu bairro, ele dá conta de todo o trabalho sozinho. Mas, nas poucas exceções de grande demanda – como em datas comemorativas – ele conta com a ajuda do seu filho para realizar os atendimentos. Conforme o movimento vai aumentando, João conta com a ajuda do seu filho de forma mais frequente, mas sem nunca formalizar a contratação como funcionário.

Essa situação é muito comum em pequenas empresas do varejo. Entretanto, a utilização de funcionários na informalidade não está correta, mesmo quando eles não trabalham todos os dias na sua loja.Se o filho do João se acidentar no trabalho, por exemplo, o “patrão” terá que arcar com todas as consequências e custos, já que o “empregado” não é segurado pela Previdência.

3. Mantenha uma boa relação com os funcionários

Uma boa relação com funcionários não é uma exigência legal e nem pode ser mensurada, mas é muito útil para reduzir os riscos trabalhistas.

Quando você é capaz de compreender como os empregados se sentem em relação à sua empresa, fica mais fácil manter boas condições de trabalho e resolver qualquer situação imprevista de forma amistosa – sem a necessidade de acionar a justiça.

4. Guarde a documentação em dia

Conforme vimos anteriormente, a contratação e manutenção de um funcionário são repletas de exigências legais. E isso tudo é formalizado através de documentos. Certifique-se de que todos os documentos e recibos sejam armazenados em segurança – preenchidos e assinados corretamente.

Isso é importante porque são os documentos que comprovarão qualquer fato em uma ação trabalhista. Muitas empresas não encontram os comprovantes necessários e acabam sofrendo penalidades.

5. Atualize-se!

As leis trabalhistas são alteradas frequentemente, por isso é essencial estar sempre atualizado. Somente assim é possível seguir cumprindo todas as exigências relacionadas aos seus empregados, evitando os riscos trabalhistas.

Gostou das dicas para reduzir riscos trabalhistas? Confira o artigo: Trabalhe com os melhores. Como entrevistar profissionais para a sua loja.